Reforço da comercialização agrícola para estimular a produção familiar e melhorar a segurança alimentar

Reforço da comercialização agrícola para estimular a produção familiar e melhorar a segurança alimentar

“Reforçar a comercialização agrícola para estimular a produção familiar e melhorar a segurança alimentar” – é o lema da parceria entre o Instituto de Cereais de Moçambique (ICM) e a Gapi que na última campanha fez financiamentos na ordem de 100 milhões de meticais através de 90 comerciantes rurais.

A parceria ICM-Gapi tem vindo a ser implementada desde há um ano através da “Linha de Crédito de Comercialização Agrícola (LCCA)”. Esta linha de crédito é um dos instrumentos do Fundo Rotativo para a Comercialização Agrícola designado FRCA. Ela está concebida e implementada com vista a estimular a produção de excedentes por parte dos camponeses, através da capacitação técnica e financeira de comerciantes rurais para que eles sejam capazes de assegurar a compra da produção dos agricultores familiares.

O ICM e a Gapi fazem a gestão desta linha através de um comité directivo em cuja última sessão se constatou que estes 90 comerciantes rurais conseguiram comprar excedentes produzidos por cerca de 45 mil famílias num total superior a 50 mil toneladas de produtos alimentares com destaque para milho, feijões, amendoim e gergelim.

O Comité Directivo da LCCA, avaliou a experiência desenvolvida ao longo do primeiro ano de actividade e introduziu novas facilidades no sistema que irá transformar o Fundo Rotativo para a Comercialização Agrícola (FRCA) criado pelo Governo através do Decreto n° 32/2019 de 29 de Abril,  num instrumento de importância estratégica para o desenvolvimento rural. Através da rede rural da Gapi e em parceria com autoridades locais pretende-se abranger mais de 300 comerciantes de produtos agrícolas, principalmente em zonas fronteiriças, para se evitar que os excedentes dos camponeses sejam escoados para fora do território nacional.

O Ministro da Indústria e Comercio, Carlos Mesquita analisou o desempenho desta parceria, por ocasião do lançamento da campanha de comercialização 2020, tendo reconhecido que “persiste o desafio de fazer chegar a produção nacional, que vem conhecendo um aumento, ao consumidor final a preços justos. Com a aprovação do FRCA pretendíamos dar maior dinamismo, flexibilidade, fluidez e sustentabilidade ao processo de comercialização agrícola. Continuaremos a trabalhar afincadamente para o reforço das fontes de financiamento e garantir o escoamento da produção para garantir a segurança e estabilidade alimentar.

No âmbito da expansão do número de comerciantes que beneficiam desta linha, três comerciantes oriundos das três regiões do país, zona Norte, Província do Niassa, distrito de Lichinga, Zona Centro, Província da Zambézia, distrito de Morrumbala e Zona Sul, Província de Inhambane, distrito de Vilankulo receberam cheques que simbolizam o financiamento das suas actividades, na esteira do lançamento da campanha de comercialização 2020, num acto testemunhado por Sua Excelência Filipe Nyusi, Presidente da República.

Trata-se de SOZINHO VASCO, de 35 anos, de Morrumbala, empreendedor e avicultor há 11 anos. Vasco é casado e tem três filhos, tendo já se beneficiado de quatro financiamentos anteriores da Gapi, que serviram para iniciar e ampliar a sua produção avícola. Para dinamizar a sua actividade de compra e venda, beneficiará de um financiamento de 300.000,00Mts, para aquisição de produtos como o milho, soja e sêmea para produção de ração aviária assim como para comercialização. Com a sua actividade, Vasco garante emprego a 10 trabalhadores fixos e cerca de 32 sazonais.

ARLINDO NHALUMBA de 49 anos e pai de seis filhos, residente em Vilankulo é outro beneficiário da LCCA. Comerciante agrícola, Nhalumba emprega 14 trabalhadores fixos. É um empreendedor exemplar, que beneficiou e honrou com os financiamentos anteriores, que aplicou na melhoria do seu negócio e construiu um armazém com capacidade para 50 toneladas que serve para a conservação dos produtos agrícolas. Nhalumba receberá um cheque no valor de 800.000,00Mts que servirão para a aquisição de produtos agrícolas como feijão-manteiga, milho e amendoim. Os pontos de comercialização são Vilankulo e Massinga, na província de Inhambane.

Ainda por ocasião do lançamento da campanha de comercialização, MUSTAFA RACHIDE, 43 anos, Pai de 10 filhos, natural de Sanga, Província de Niassa, beneficiará de crédito no valor de 1.500.000,00Mts. Rachide é comerciante agrícola há 22 anos e dedica-se a compra e venda de milho e feijões na província de Niassa, actividade que desempenha com o auxílio dos seus cinco trabalhadores fixos e outros sazonais.

O FRCA, através da LCCA, além de financiar as campanhas de comercialização agrícola, está igualmente habilitado a promover actividades de agro-processamento contribuindo para a melhoria das infra-estruturas de armazenamento. Estão também contemplados programas de assistência técnica com vista à criação e capacitação de operadores da comercialização agrícola e do agro-processamento de pequena e média dimensão para que os mesmos possam melhorar e aperfeiçoar a gestão dos seus negócios, ter acesso a tecnologias mais adequadas e melhor acesso a serviços financeiros.

Deixe uma resposta

Retype the CAPTCHA code from the image
Change the CAPTCHA code

Close Menu