“Mosaico-Moçambique” no 27º aniversário da Gapi

“Um aspecto a ter seriamente em conta neste Mosaico Moçambique é a saliência que é dada à presença estruturante e impactante das culturas e dos povos do Oceano Índico, ou que chegaram a este território através dele. Sem essa presença, parte significativa da riqueza e da singularidade dos objectos e do imaginário cultural dos moçambicanos não existiria. Não nos devemos esquecer que praticamente todos os povos que compõem esta nação extraordinária que hoje conhecemos como Moçambique vieram de fora. Os bantus vieram de dentro, todos os outros foram chegando através do mar, resultando neste belíssimo e desconcertante mosaico que desconstrói a ideia de originário.” – disse o Reitor da UniLúrio Professor Dr Francisco Noa na cerimónia de lançamento da edição em português da obra “Mosaico-Moçambique”. O lançamento da edição portuguesa desta obra foi uma iniciativa conjunta da Gapi-SI e do Observatório Cultural de Moçambique – OCULTU – para assinalar o 27º aniversário da Gapi.

O Administrador-Delegado da Gapi-SI, António Souto, disse que a opção de se assinalar este aniversário da instituição promovendo uma edição em português do Mosaico-Moçambique resulta do reconhecimento do potencial contributo desta obra para uma melhor compreensão do valor da diversidade do mosaico cultural da sociedade moçambicana. “A missão da Gapi é a de contribuir para um sistema financeiro mais inclusivo para que a diversidade sociocultural de Moçambique seja uma vantagem e factor de oportunidades.”

“Mosaico Moçambique” é uma obra da autoria do cidadão dinamarquês, Henrik Ellert e que aborda a cultura material de Moçambique. O autor vive e trabalha há mais de quatro décadas em vários países da África Austral, tendo recentemente fixado residência em Moçambique.

O autor afirmou que “o objectivo deste livro é explorar a rica cultura e a história de um povo e de um país por meio da etnografia – a cultura material. Cada pequena coisa, cada criação tem uma história para contar. Não sou nenhum grande antropólogo e investigador etnográfico, mas simplesmente uma pessoa com olhos abertos para as belezas deste país.”

A cerimónia contou com a presença de altos dignatários do Estado moçambicano e do corpo Diplomático, com destaque para o Juíz Presidente do Tribunal Constitucional, Hermenegildo Gamito, o Ministro da Cooperação e Negócios Estrangeiros, Oldemiro Balói, o Vice-Governador do Banco de Moçambique, Victor Gomes.

O Secretário Permanente do Ministério da Cultura e Turismo, falando em nome do Governo, saudou o autor e a iniciativa da Gapi em promover esta obra. Disse que o contributo da Gapi é um exemplo para o que outras instituições deveriam fazer em prol da cultura nacional.

O anfitrião desta cerimónia foi o Centro Cultural do Brasil, localizado na Baixa de Maputo, e que, apesar de ainda se encontrar em obras aceitou acolher o evento. Na ocasião, o Representante da Embaixada do Brasil saudou o papel e contributo da Gapi no desenvolvimento de Moçambique e manifestou-se honrado em acolher este evento naquele Centro porque ele valoriza e enriquece o que muito há de comum entre Moçambique e Brasil.

O académico e diplomata Sérgio Mate e a administradora da Gapi, Anabela Mucavele procederam à oferta de vários exemplares da obra ao Ministério da Cultura e Turismo e à Universidade Unilúrio.

[ngg_images source=”galleries” container_ids=”6″ display_type=”photocrati-nextgen_basic_thumbnails” override_thumbnail_settings=”1″ thumbnail_width=”200″ thumbnail_height=”150″ thumbnail_crop=”1″ images_per_page=”20″ number_of_columns=”0″ ajax_pagination=”0″ show_all_in_lightbox=”0″ use_imagebrowser_effect=”0″ show_slideshow_link=”1″ slideshow_link_text=”[Show slideshow]” order_by=”sortorder” order_direction=”ASC” returns=”included” maximum_entity_count=”500″]

Deixe uma resposta

Close Menu