Instituições Financeiras de Desenvolvimento de África: Gapi conquista rating “A”

A Gapi conquistou um rating “A” entre as Instituições Financeiras de Desenvolvimento (IFDs) membros da AADFI (Associação Africana das Instituições de Desenvolvimento). Esta classificação decorre de uma avaliação anual ao desempenho das instituições financeiras afiliadas na AADFI e à luz de um sistema designado por PSGRS (Prudential Standards, Guidelines and Rating System). O rating “A” é atribuído às instituições cujo grau de adequação e conformação com as normas de gestão e sustentabilidade estabelecidas seja igual ou superior a 80 %. Na última avaliação, referente ao exercício de 2015, a Gapi obteve 81 %.

A AADFI conta presentemente com 80 instituições financeiras envolvidas nas finanças para o desenvolvimento de África. Esta associação foi constituída em Março de 1975 sob os auspícios do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD). Em 2008 os seus membros aprovaram os PSGRS como um modelo e instrumento de avaliação do desempenho dos seus membros.

O BAD, como instituição financeira de desenvolvimento (IFD) de âmbito continental, apoiou a AADFI a implementar os PSGRS entre os seus membros tendo em vista promover a consolidação das IFDs nacionais africanas. Os PSGRS avaliam as instituições afiliadas em três áreas chave, nomeadamente: Governação, Finanças e Operações. Esta avaliação é escrutinada por empresas de auditoria externa, internacionalmente reconhecidas. A Gapi vem participando neste mecanismo de avaliação desde 2011, tendo nesse ano obtido uma classificação de 67%, o correspondente ao rating C+.

A governação da Gapi assenta numa estrutura acionista público-privada que combina 30% de sector público, 55% de entidades privadas e 15% de organizações civis, os quais aprovaram em 2014 um plano de acção para a actualização da sua estratégia. Esta nova estratégia, que já está em fase inicial de implementação, assegura à Gapi uma melhor clarificação e reestruturação dos seus negócios e um enquadramento mais adequado na categoria legal de Sociedade de Investimento, conforme os normativos do Banco de Moçambique como autoridade reguladora do sector financeiro.

A nova estratégia da Gapi inspira-se nas políticas públicas expressas em documentos orientadores aprovados pelo Governo e tem como foco a promoção e consolidação do tecido empresarial nacional e a melhoria de instrumentos financeiros que contribuam para um desenvolvimento económico mais inclusivo de Moçambique. Neste sentido, estão a ser priorizados projectos com vista à edificação de uma rede de serviços financeiros rurais, em interligação com a expansão de serviços de assistência a pequenas e médias empresas operando em sectores relevantes para a segurança alimentar, para a geração de emprego, e para a promoção da mulher e de jovens empreendedores.

Deixe uma resposta

Close Menu