“Aproveitem este apoio tecnológico e modernizem a produção”

“Aproveitem este apoio tecnológico e modernizem a produção”

– Filipe Nyusi aos agricultores e jovens das Mahotas que beneficiam da assistência técnica e financeira da Gapi para a instalação de estufas e uso de técnicas de cultivo hidropónicas.

 

O Presidente da República (PR), Filipe Nyusi, instou os produtores da associação “Massacre de Mbuzine”, nas Mahotas, bem como jovens produtores, a maximizarem a assistência financeira e técnica que recebem da Gapi e seus parceiros, para melhorarem a produção e produtividade, de modo a conquistarem mais e melhores mercados.

Ao visitar a estufa de hidroponia que a Gapi instalou nas Mahotas, em parceria com a The Master Card Foundation e International Youth Foundation, no âmbito do programa “VIA: Rotas para o trabalho”, Nyusi mostrou muita satisfação com a aposta da Gapi na juventude e na modernização da actividade agrícola. Sublinhou que “a actividade agrícola é uma das apostas do nosso governo e ficamos bastante esperançosos quando vemos que a Gapi aposta no uso de técnicas modernas e sustentáveis e na inclusão da juventude”.

Ao interagir com o Chefe de Estado, Rui Amaral, coordenador das actividades ligadas à juventude e inovação na Gapi, disse que “as estufas hidropónicas sâo resultado da adesão de novos parceiros aos programas direccionados à juventude e inovação, com enfoque no sector agro”. Prosseguindo, Amaral lembrou que “este programa é um complemtento do ´Agro jovem´, financiado pela DANIDA e lançado por Sua Excelência em 2015 visando a criação de uma nova classe de jovens empreendedores.”

“O Agro-Jovem já financiou mais de 60 jovens em todo o país em montantes que superam os 30 milhões de meticais e está a ser implementado em parceria com 20 instituições de ensino superior e técnico-profissional”, acrescentou Amaral.

Ainda durante esta interacção, o Presidente inteirou-se sobre as várias intervenções da Gapi, tendo sido informado que nos 12 principais programas implementados por esta instituição financeira de desenvolvimento em todas as províncias do país, adopta-se uma metodologia que combina financiamento, assistência técnica e capacitação institucional. Através desta metodologia estimula-se o surgimento de novas pequenas empresas, em particular as ligadas à modernização da agricultura.

Nesta visita, Filipe Nyusi escalou também algumas estufas da componente de desenvolvimento das cadeias de valor das hortícolas, no âmbito do PROSUL, financiado pelo IFAD e implementada pela Gapi. Nelas o PR ficou a saber que a Gapi adopta a metodologia denominada “Escola na Machamba do Camponês”, como uma forma de transferência de tecnologia e conhecimento, de modo a que os produtores possam replicar nas suas machambas.

Lenine Matavele, coordenador desta componente para a província e cidade de Maputo, informou que, “com as estufas e com o uso de técnicas avançadas de produção e plantio de mudas e tecnologia de rega, é possível produzir durante todo ano, mesmo num contexto de mudanças climáticas e escassez de água”.

Antes de finalizar a sua visita, o PR ainda teve oportunidade de visitar o regadio e interagir com os produtores, a quem aconselhou a “aproveitarem este apoio tecnológico e modernizarem a vossa produção”.

 

This Post Has 2 Comments

  1. Parabéns KaMavota e a todos colegas da GAPI.
    Só uma pergunta tenhovao fotógrafo:
    Na foto onde aparecem na sombrite de produção de plântulas aparece um jovem com camisete das cores e bandeira de Angola e ainda com o próprio símbolo, visto que deviamos elevar a imagem Moçambicana e os trabalhos da GAPI em particular. Apenas uma observação minha e nada mais. Abraços e bom trabalho

  2. Obrigado pelos comentários. Infelizmente não podemos evitar, dado que estava na única posição viável para a foto, tal como não temos controlo sobre as vestes dos intervenientes. Contudo, reiteramos o nosso agradecimento pela sua intervenção.

Deixe uma resposta

Close Menu