Agro-Jovem promovido por 16 instituições de ensino

O Agro-Jovem está agora instalado em 16 (dezasseis) instituições de ensino médio e superior que, no passado dia 20 de Julho, celebraram em Maputo acordos de parceria com a Gapi-SI para implementar este programa em todas as províncias do país. A cerimónia de assinatura dos acordos foi presenciada por representantes de várias Embaixadas e de Ministérios que saudaram a iniciativa pelo seu contributo no estímulo ao empreendedorismo entre jovens técnicos e na geração de emprego.

O programa Agro-Jovem tem em vista apoiar as instituições de ensino a estimular o empreendedorismo no seio dos jovens recém-formados em matérias relevantes para o desenvolvimento de negócios com impacto positivo na segurança alimentar. Este evento assinalou o início da segunda fase do Programa Agro-Jovem. Na primeira fase participaram 7 instituições, as quais, em 2016 asseguraram financiamento para 12 negócios num montante total de 8 (oito) milhões de Meticais. O gestor do programa, Rui Amaral, revelou na ocasião que estes 12 pequenos negócios deram adicionalmente emprego a 66 jovens.

Para assegurar o sucesso desta segunda fase, cada instituição de ensino parceira participou entre os dias 19 e 21 de Julho num programa de actualização em metodologias de desenvolvimento do empreendedorismo. Os docentes que beneficiaram desta formação vão agora servir de mentores nas suas instituições de ensino para os futuros empreendedores.

A Gapi é o melhor canal que a Dinamarca encontrou para apoiar Moçambique no combate ao desemprego. É uma instituição sólida e virada a resultados sustentáveis e eficazes. Com o Agro-Jovem, pretendemos que o número de jovens empregados aumente e sabemos que a Gapi é a instituição certa para esse fim. ” – disse Johnny Flento, Embaixador da Dinamarca, país que é o principal financiador desta iniciativa da Gapi.

Por sua vez, as instituições parceiras que estiveram envolvidas na fase piloto foram unânimes em afirmar que o programa tem permitido um grande avanço na qualidade da formação dos seus estudantes, despertando neles uma mentalidade mais criativa e empreendedora, o que vai contribuir para que eles criem o seu próprio emprego e contribuam melhor para o desenvolvimento do país.

Por fim, o Administrador Delegado da Gapi, António Souto, afirmou que “a Gapi assumiu o desafio de conceber e implementar o Agro-Jovem com o objectivo de contribuir para a melhoria da nossa juventude, pois temos o compromisso de apoiar uma nova geração a realizar os seus sonhos como empreendedores”.

Deixe uma resposta

Retype the CAPTCHA code from the image
Change the CAPTCHA code

Close Menu