Agro-jovem forma formadores

O Programa Agro-jovem, uma iniciativa que visa apoiar instituições de ensino técnico-profissional e superior a estimularem o surgimento de uma geração de jovens empresários nas cadeias de valor dos agro-negócios, procedeu, de 14 a 18 de Setembro corrente, em Chimoio, Manica, à formação de formadores e equipas de implementação da Gapi e dos seus parceiros.

O agro-jovem foi oficialmente lançado no dia 22 de Junho pelo Presidente da República, Filipe Nyussi e tem como parceiros de implementação as seguintes instituições de ensino: Universidade Eduardo Mondlane (Maputo); Universidade Católica  (Cuamba);  UniZambeze (Angónia e Mocuba); Instituto Superior de Manica (Chimoio); Instituto Superior de Gaza (Chóckwè) e Instituto Agrário de Nacucha (Mossuril).

A formação incidiu nos objectivos de estimular o surgimento de uma nova classe de jovens empresários no sector agro, tendo leccionado matérias ligadas à elaboração de planos de negócio; apresentação e avaliação de projectos; ideias de negócios; criação de empresas; gestão empresarial, entre outros.

Com o Agro-jovem, a Gapi e seus parceiros de financiamento e implementação, propõem-se a contribuir para a criação de uma nova geração de empresários nas cadeias de valor do agro-negócio, dotados de capacitação, para o empreendedorismo.

Este programa pretende dar um contributo às políticas públicas de melhorar as dinâmicas de expansão do sector empresarial nacional através do reforço das competências do sistema de ensino em formar quadros com espírito empreendedor. Na preparação deste programa a Gapi considerou que a metodologia mais adequada para enquadrar no mercado laboral uma parte dos mais de 300 mil jovens que anualmente entram na idade laboral é o reforço de um sistema de ensino que propague o “saber fazer” e a capacidade de criar novos empresários e novas pequenas empresas geradoras de postos de trabalho. Os dois sectores da economia que mais geram emprego são a agricultura e as pequenas e médias empresas (PME´s).

A Gapi-SI propõe-se realizar este objectivo através de um projecto que combina consultoria, capacitação empresarial e financiamento do capital inicial (seed capital). O projecto será implementado através de uma rede de parcerias com instituições nacionais de ensino, dotadas de competências para formar técnicos moçambicanos capazes de responder às necessidades do sector do Agro-negócio.

Dada a sua experiência e perfil, e como agência nacional participada e apoiada pelo Governo, a Gapi-SI assume a responsabilidade de operacionalizar o presente projecto. Ciente da complexidade deste desafio, a Gapi-SI adopta uma estratégia concertada e de âmbito público-privado, estimulando a participação de instituições nacionais de Ensino Superior e Ensino Técnico-Profissional.

Deixe uma resposta

Close Menu